Archive for junho \22\UTC 2010

Programação do PDC de setembro

Chegada: 03/09 a partir das 18:00h
Saída: 12/09 após o encerramento
Alimentação: lacto-ovo-vegetariana (em caso de alguma restrição específica favor informar)

Conteúdo Teórico:
Módulo I
Bloco 1 INTRODUÇÃO
Introdução ao local do curso, instrutores, participantes e pessoal de apoio
Discussão sobre o programa e atividades paralelas
Introdução: O que é Permacultura – definição e implicações práticas do tema
A história da Permacultura
Permacultura hoje – no Brasil e no mundo
A ética da Permacultura
A Permacultura na paisagem e na sociedade
Bloco 2 CONCEITOS E TEMAS BÁSICOS (princípios dos sistemas naturais)
Ciência e conhecimento ancestral
Aplicando princípios naturais no design
Recursos, produtividade, ciclos e nichos
Diversidade, estabilidade, ordem e caos, complexidade e conexões, funções
Bloco 3 MÉTODOS PARA O DESIGN
Introdução à prática do design
Análise pelas características dos elementos
Design pela expansão de observações e lições da natureza
Opções, decisões e caminhos
Sobreposição de dados
Conexões randômicas
Fluxogramas
Zoneamentos e setorizações
Design incremental
O conceito de consórcios
Sucessão e evolução de um sistema
Estabelecimento e manutenção de um sistema
Módulo II
Bloco 1 PADRÕES
Um modelo geral dos eventos
Matrizes e estratégias complexas
Efeitos de borda e aplicações práticas
Temporalidade e formas dos eventos
Espirais, círculos, lóbulos e fluxos
Escalas e ordens de magnitude
O uso tribal dos padrões
Bloco 2 O CLIMA E OS MICROCLIMAS
Classificação das zonas climáticas globais
Padrões globais e os grandes sistemas
Precipitação
Irradiação
Ventos
Efeitos microclimáticos da paisagem
Efeitos de latitude
Bloco 3 AS ÁRVORES E SUAS INTERAÇÕES ENERGÉTICAS
A biomassa da árvore
Efeitos do vento
Efeitos da temperatura
Árvores e a precipitação
Interações com a chuva
Bloco 4 ÁGUA
Intervenções regionais no ciclo das águas
Modificações do terreno para conservação e armazenamento
Redução de uso nos sistemas de esgoto
Purificação de águas poluídas
Tecnologias apropriadas para armazenamento, transporte e aquecimento
Módulo III
Bloco 1 SOLOS
Classificações tribais
Solo e a saúde da população
A estrutura dos solos
Solo e a água
Nutrientes e elementos do solo
Composição, pH e microbiologia dos solos
Deficiências minerais reveladas pela observação das plantas
Indicadores biológicos
Erosão e reabilitação
A respiração da terra
Bloco 2 MOVIMENTAÇÕES DE TERRA
Planejamento de movimentações
Plantios pós-movimentação
Medidas de declividade
Níveis e Nivelamento
Tipos de movimentações (açudes, estradas, canais, terraços)
Construções com terra
Recursos da terra
Bloco 3 NOS TRÓPICOS ÚMIDOS E SUB-ÚMIDOS
Climas típicos
Solos tropicais
Movimentações de terra nos trópicos
Arquitetura apropriada
A horta tropical
Manejo integrado da propriedade
Elementos de uma comunidade nos trópicos úmidos
A evolução de uma policultura integrada
Policulturas de palmeiras
Sistemas de tratores vivos (animais)
Manejo de pastagens e gado
Estabilização de áreas costeiras
Bloco 4 NOS CLIMAS SECOS
Coleta da precipitação
Solos e temperaturas
Características do terreno árido
A horta no deserto
Técnicas de irrigação
Assentamentos e comunidades
Animais em terras secas
Desertificação e salinização dos solos
Desertos frios
Módulo IV
Bloco 1 NOS CLIMAS FRIOS
Características gerais
Solos e forma do terreno
Conservação da água
Cultivo de bagas e outras culturas
Produção em estufas
A horta temperada
A floresta de alimentos
Pastagens e animais
Bloco 2 AQUICULTURA E ARQUITETURA APROPRIADA
Alimentos aquáticos
Evolução de um sistema aquático
Elementos de uma aquicultura
Chinampas, canais e pequenos tanques
Policulturas aquáticas e terrestres
Design para catástrofes: fogo, furacões, tempestades
Habitações sustentáveis
Design solar
Materiais apropriados
Técnicas apropriadas (cob, fardos, taipas, superadobes, fibras, etc)
Bloco 3 ESTRATÉGIAS PARA UMA NAÇÃO ALTERNATIVA GLOBAL
Bases éticas para uma nação alternativa
A nova ONU
Organização bioregional
Estratégias legais de organização
Fundações de desenvolvimento
Assentamentos, comunidades e ecovilas
Dinheiro, financiamento e sistemas econômicos alternativos
Investimento ético

Conteúdo Prático sugerido
Compostagem, húmus, minhocário, canteiros, espiral de ervas, caminhada, canal de infiltração, plantio em panelas, fabricação de sabão, prática construtiva a definir. O conteúdo pode ser alterado de acordo com as necessidades do grupo.

Desenvolvimento  e apresentação do design
Desenvolvimento do design para uma área definida da propriedade com apresentação dos desenhos e planos propostos e argumentação sobre a proposta de cada grupo.

Troca de Experiências
No período da noite podem ser exibidos filmes trazidos pelos instrutores ou participantes bem como troca de informações sobre as atividades desenvolvidas na chácara ou pelo participantes em seus locais de origem.

Certificados

Os certficados serão emitidos pelos instrutores do curso Jorge Timmermann e Suzana Maringoni.

Minha história com as vacas.

Estava pensando um dia desses sobre minha história com as vacas.
Quando eu era menina tinha medo delas.
Passávamos as férias de verão em Minas, na casa de meus avós maternos.
Ficávamos um pouco na cidade (do tamanho de um ovo de codorna) e um pouco mais a fazenda.
Eu gostava de ficar na fazenda e brincar no terreiro de café.
De manhã bem cedinho a criançada ia até o curral com suas canecas para toma um leitinho com espuma.
Tomei muitas canecas de “espuminha”, sem pasteuriza ou ferver, tirado ali no curral, direto na caneca com açúcar. Não me lembro de ficarmos doentes por isso.
Mas esse era meu contato mais próximo com as vacas.
Um dos meus tios tinha um touro na fazenda que chamava Bayard e ra tido como muito bravo.
Um dia foi uma correria só. “Todo mundo pra dentro de casa que o Bayard fugiu!!!” Ui, acuda!
Assim eu fui crescendo sem chegar muito perto das vacas. De vez em quando ia dar uma espiadinha nos bezerros pequenos.
Meu pai chegou a ter um sítio em Morretes (cidade próxima ao litoral no Paraná) e para lá levou três bezerros que ganhou de um outro tio lá de Minas. Trouxe os três na camionete. Uma viagem que fez história na família!
Nunca cheguei perto dos bichinhos, até porque não gostava muito de ir pro sítio que tinha mosquito, vacas, besouros, e tantos outros bichinhos!
Bom, o tempo passou, eu cresci, resolvi fazer o curso de Agronomia, me formei, casei e tive meus filhos.
A essa altura já tínhamos a Chácara Boa Vista.
Por volta de 1993/1994 meu pai resolveu que iria criar vacas de novo. Escolheu a raça Jersey por ser um animal pequeno, que come pouco e produz bom leite com bom teor de gordura (ótimo para fazer manteiga).
Chegamos a ter oito vaquinhas aqui e uma de nossas bezerras foi para uma exposição e até ganhou uma medalha.
Nessa época produzíamos leite, queijo frescal e coalhada. O queijo daqui tinha o registro número 001 no Serviço de Inspeção Municipal (SIM) de Campo Largo.
Nessa época eu ainda não era bem amiga das vacas e quem ajudava meu pai aqui na chácara era meu irmão mais novo que ainda era solteiro.
Em 1995 papai acabou encerrando as atividades e vendendo as vacas.
A vida foi seguindo e no ano 2000 fiz um curso de Agricultura Biodinâmica.
Quando o curso acabou começamos a participar de um grupo de estudos com produtores biodinâmicos de municípios da região metropolitana de Curitiba.
Uma das produtoras tinha uma vaca com a filha e mais uma novilha, Sonora, Brisa e Serena.
Ela estava querendo vender e nós compramos as três.
Eu já estava morando aqui na chácara e foi aí que comecei a minha amizade com as vacas.
Aprendi a ordenhar primeiro à mão mesmo. Afinal era só uma vaca e não valia à pena religar todo o equipamento de ordenha.
Depois a novilha teve sua cria e resolvemos reisntalar a ordenha mecânica, mas continuou por minha conta o serviço. Meu pai acompanhava todas as ordenhas mas dizia que já não tinha mão para ordenhar.
Quando meu pai adoeceu levamos as vacas para a chácara de uns amigos e por lá elas ficaram pois meu pai logo faleceu.
Passei um tempo quieta mas os filhos começaram a pedir por um leitinho como no tempo do vô e aí comprei uma vaca.
Era mestiça, dava coice e só deixava ordenhar se estivesse com o pé preso. Uma vizinha veio me ajudar por vários dias até que eu criei coragem e resolvi assumir o compromisso.
Essa vaquinha ficou aqui mais ou menos um ano e acabei trocando ela pela Miucha.
Agora tenho aqui na chácara: Miucha (mestiça) e seu filho Barnabé, Bárbara e sua filha Aurora, Yasmin e seu filho Alfredo, Cindy e Escudera (todos Jersey) e quando me vejo andando pelo meio deles, encarando alguns coices da Escudera e da Miucha fico pensando em como a vida é.
Nunca me imaginei fazendo isso mas, aqui estou eu, com minhas vaquinhas e muito feliz!

A “Casa-Pousada”

A Chácara Boa Vista foi comprada em 1980 por meu pai, que logo começou a construir uma casa onde iria morar quando se aposentasse.

Ele se aposentou em 1990 e em 1992 se mudou oficialmente para cá.

Em 1997 construimos nossa casa aqui.

Em 2001 minha mãe faleceu e em 2004 meu pai faleceu e eu herdei a chácara.

Na casa deles instalei uma “pousada” que usamos para os eventos da chácara.

A casa é ampla e muito agradável, segundo as pessoas que já se hospedaram por aqui.

São três suítes para até cinco pessoas e mais três quartos com dois banheiros, para  três ou quatro pessoas cada quarto.

Seguem algumas fotos do lugar.

Essa é a fachada da casa

Na sequência fotos dos quarto e banheiros

As fotos das suítes ficam para uma próxima postagem.

Saudações amigas,

Karen

Foto das vaquinhas

Depois de tanta chuva, em um dia de sol as vaquinhas estavam só na moleza!!!!

As nossas vacas são da raça Jersey.

São animais dóceis e muito produtivos.

O leite tem um ótimo teor de gordura o que possibilita a produção de uma manteiga excelente.

Por conta de seu tamanho são animais que comem pouco se adaptando muito bem às pequenas propriedades.

A vaca “escondida” embaixo do cedrinho é a Escudeira.

De pé na frente está a Bárbara e sua filha Aurora, nascida em fevereiro.

Sentada olhando para frente está Yasmin junto com seu filho Alfredo e ao lado a outra vaca é a Cindy.

Ao lado da casa está a Miucha que deverá criar nos próximos dias.

Essa foto foi tirada ainda no início do ano.

Com o calorão daqueles dias só assim para refrescar.

A vaca mais à frente é a Yasmin e o bezerro na margem é o Alfredo, seu filhote. A vaca mais clara é a Bárbara e a manchada é a Miucha.

Esse é o nosso novo estábulo e sala de ordenha.

Estamos concluindo a obra e assim que esteja tudo em ordem vou postar uma bela foto com as “meninas” aqui.

Conteúdo do PDC

Aqui está o progama do Curso de Design em Permacultura.

A programação dia-a-dia está sendo concluída e ainda na semana que vem estarei postando.

Curso de Design em Permacultura
Programa do Curso PDC

Módulo I

Bloco 1 INTRODUÇÃO

Introdução ao local do curso, instrutores, participantes e pessoal de apoio

Discussão sobre o programa e atividades paralelas

Introdução: O que é Permacultura – definição e implicações práticas do tema

A história da Permacultura

Permacultura hoje – no Brasil e no mundo

A ética da Permacultura

A Permacultura na paisagem e na sociedade

Bloco 2     CONCEITOS E TEMAS BÁSICOS (princípios dos sistemas naturais)

Ciência e conhecimento ancestral

Aplicando princípios naturais no design

Recursos, produtividade, ciclos e nichos

Diversidade, estabilidade, ordem e caos, complexidade e conexões, funções

Bloco 3     MÉTODOS PARA O DESIGN

Introdução à prática do design

Análise pelas características dos elementos

Design pela expansão de observações e lições da natureza

Opções, decisões e caminhos

Sobreposição de dados

Conexões randômicas

Fluxogramas

Zoneamentos e setorizações

Design incremental

O conceito de consórcios

Sucessão e evolução de um sistema

Estabelecimento e manutenção de um sistema

Módulo II

Bloco 1     PADRÕES

Um modelo geral dos eventos

Matrizes e estratégias complexas

Efeitos de borda e aplicações práticas

Temporalidade e formas dos eventos

Espirais, círculos, lóbulos e fluxos

Escalas e ordens de magnitude

O uso tribal dos padrões

Bloco 2     O CLIMA E OS MICROCLIMAS

Classificação das zonas climáticas globais

Padrões globais e os grandes sistemas

Precipitação

Irradiação

Ventos

Efeitos microclimáticos da paisagem

Efeitos de latitude

Bloco 3     AS ÁRVORES E SUAS INTERAÇÕES ENERGÉTICAS

A biomassa da árvore

Efeitos do vento

Efeitos da temperatura

Árvores e a precipitação

Interações com a chuva

Bloco 4     ÁGUA

Intervenções regionais no ciclo das águas

Modificações do terreno para conservação e armazenamento

Redução de uso nos sistemas de esgoto

Purificação de águas poluídas

Tecnologias apropriadas para armazenamento, transporte e aquecimento

Módulo III

Bloco 1     SOLOS

Classificações tribais

Solo e a saúde da população

A estrutura dos solos

Solo e a água

Nutrientes e elementos do solo

Composição, pH e microbiologia dos solos

Deficiências minerais reveladas pela observação das plantas

Indicadores biológicos

Erosão e reabilitação

A respiração da terra

Bloco 2     MOVIMENTAÇÕES DE TERRA

Planejamento de movimentações

Plantios pós-movimentação

Medidas de declividade

Níveis e Nivelamento

Tipos de movimentações (açudes, estradas, canais, terraços)

Construções com terra

Recursos da terra

Bloco 3     NOS TRÓPICOS ÚMIDOS E SUB-ÚMIDOS

Climas típicos

Solos tropicais

Movimentações de terra nos trópicos

Arquitetura apropriada

A horta tropical

Manejo integrado da propriedade

Elementos de uma comunidade nos trópicos úmidos

A evolução de uma policultura integrada

Policulturas de palmeiras

Sistemas de tratores vivos (animais)

Manejo de pastagens e gado

Estabilização de áreas costeiras

Bloco 4     NOS CLIMAS SECOS

Coleta da precipitação

Solos e temperaturas

Características do terreno árido

A horta no deserto

Técnicas de irrigação

Assentamentos e comunidades

Animais em terras secas

Desertificação e salinização dos solos

Desertos frios

Módulo IV

Bloco 1     NOS CLIMAS FRIOS

Características gerais

Solos e forma do terreno

Conservação da água

Cultivo de bagas e outras culturas

Produção em estufas

A horta temperada

A floresta de alimentos

Pastagens e animais

Bloco 2     AQUICULTURA E ARQUITETURA APROPRIADA

Alimentos aquáticos

Evolução de um sistema aquático

Elementos de uma aquicultura

Chinampas, canais e pequenos tanques

Policulturas aquáticas e terrestres

Design para catástrofes: fogo, furacões, tempestades

Habitações sustentáveis

Design solar

Materiais apropriados

Técnicas apropriadas (cob, fardos, taipas, superadobes, fibras, etc)

Bloco 3     ESTRATÉGIAS PARA UMA NAÇÃO ALTERNATIVA GLOBAL

Bases éticas para uma nação alternativa

A nova ONU

Organização bioregional

Estratégias legais de organização

Fundações de desenvolvimento

Assentamentos, comunidades e ecovilas

Dinheiro, financiamento e sistemas econômicos alternativos

Investimento ético

Entrega de certificados e encerramento

%d blogueiros gostam disto: